Justiça para o interior!

A Associação SOS Rio Paiva enviou o seguinte comunicado para o Gabinete da Ministra da Justiça, todos os Grupos Parlamentares na Assembleia da República e autarquias do Vale do Paiva:

A Associação SOS Rio Paiva – Associação de Defesa do Vale do Paiva – tem como objecto a promoção sócio-cultural e preservação ambiental do Vale do Rio Paiva, através do fomento de práticas ecológicas sustentáveis e de conservação do património histórico-cultural e ambiental abrangendo nove municípios dos Distritos de Aveiro e Viseu.

Porque acreditamos num desenvolvimento eco-social da nossa região e defendemos que os centros de decisão devem estar próximos das populações e não distantes ou ausentes, não podemos ficar indiferentes ao progressivo esvaziamento da nossa região e às injustiças a que são sujeitos os seus cidadãos – crianças, jovens, adultos e idosos, homens e mulheres, portugueses como todos os outros.

Neste sentido temos vindo a ser confrontados com um conjunto de medidas que têm vindo a agravar a qualidade de vida das populações destes concelhos, afectando o seu desenvolvimento, nomeadamente ao ser negado o acesso a serviços públicos fundamentais no nosso dia-a-dia, como são a Saúde, a Justiça e a Educação.

A gota de água foi o recente anuncio feito em Lisboa da extinção dos Tribunais de Castelo de Paiva e Castro Daire!

A decisão tomada por quem está a 350kms de distância da realidade, revela um desconhecimento irresponsável do contexto sócio-económico e geográfico destes municípios e constitui uma injustiça clara para uma zona já de si a debater-se com sérias dificuldades.

No caso de Castelo de Paiva é inacreditável que em Lisboa alguém tenha concluído que existem “boas ligações rodoviárias entre os municípios de Arouca e Castelo de Paiva” e que use esses pressupostos para justificar o encerramento do tribunal no município paivense.

Os cidadãos dos concelhos do vale do Paiva, bem como outros de regiões desfavorecidas do interior, têm todo o direito a serviços públicos de qualidade e a legitimidade de exigir o seu bom funcionamento.

A nossa indignação aumenta quando estas medidas surgem na sequência de outras já tomadas e que contribuem de forma significativa para a degradação da qualidade de vida das populações destes concelhos, como o encerramento de Escolas, de serviços de Saúde, postos da GNR, serviços de atendimento da Segurança Social, Centros de Emprego, Finanças, Freguesias, etc…

Perante esta triste e incompreensível realidade os cidadãos locais têm todo o direito de demonstrar a sua indignação e inconformismo com um futuro cada vez menos promissor em termos de qualidade de vida e de um desenvolvimento harmonioso.

A Associação de Defesa do Vale do Paiva coloca-se por isso ao lado das populações e exige que os responsáveis por estas injustas decisões recuem nas suas intenções e apresentem publicamente um pedido de desculpas pelo absoluto desprezo e falta de respeito demonstrado por estes cidadãos.

A lógica de justificar a extinção de serviços públicos com a diminuição de população é destrutiva para estes municípios. Compete ao Governo inverter a desertificação do interior melhorando as condições de vida e estimulando a fixação das populações, em vez de incentivar ao exílio para os grandes centros urbanos, o que infelizmente para muitos jovens é neste momento a única solução.

Aproximar os centros de decisão das populações é um caminho viável e cada vez mais legítimo para garantir o seu desenvolvimento de forma sustentável!

FAÇA-SE JUSTIÇA!

SOS Rio Paiva – Associação de Defesa do Vale do Paiva
7 de Fevereiro de 2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.