Formação de espumas com origem natural


A Associação S.O.S. Rio Paiva tem recebido inúmeras denúncias de poluição associadas à presença de espuma em determinados troços do rio. A bibliografia mostra-nos que as pessoas manifestam bastante preocupação com este fenómeno, associando o efeito visual desagradável a detergentes ou a alguma forma de poluição da água.

De facto, alguns tipos de poluição química (orgânica e inorgânica) levam à formação de espuma. Mas este fenómeno tem, na maior parte dos casos, origem natural e não antropogénica. Na coluna de água estão presentes organismos de diferentes dimensões e níveis tróficos, dos quais se destacam as microalgas. Estes organismos de forma direta ou indireta originam matéria orgânica. Quando esta matéria orgânica é decomposta, resulta numa série de compostos de natureza lipídica e proteica. São estes compostos que juntamente com algumas substâncias húmicas provenientes das encostas vão formar espumas de origem natural.

Espuma de origem natural

Estes surfactantes naturais (compostos lipídicos, proteicos e húmicos) presentes na água, levam à formação de espumas quando o rio passa por zonas de rápidos, quedas de água, açudes, etc. As características hidromorfológicas são assim importantes no processo promovendo a interação entre a coluna de água e atmosfera, levando à formação de espuma. Por vezes, estas espumas apresentam cor acastanhada, o que resulta da agregação de substâncias como pólenes, poeiras, argilas, taninos, etc à matriz já existente.

As alterações climáticas têm implicação neste fenómeno uma vez que o aumento da temperatura acelera os processos de degradação da matéria orgânica, aumentando a liberação de compostos orgânicos, levando à formação de espumas.

Espuma de origem natural

Este esclarecimento não invalida que continuem a alertar para possíveis situações que coloquem em causa o Sítio de Interesse Comunitário Rio Paiva. A qualidade e a poluição das águas superficiais não são apenas um problema para os cientistas, mas também para os políticos, entidades gestoras e para o público em geral.

Espumas de origem natural: Espumas de origem poluente:
Persistentes, leves, de aspeto baço e não pegajosas Cor branca, contudo adquirem coloração similar ao arco-íris quando iluminadas pela luz solar
Cor branca, podendo escurecer com a agregação de outras substâncias Cheiro característico
Formam-se em locais com turbulência Não persistem no tempo
Podem-se acumular em zonas de águas paradas ou redemoinhos Aparecem em locais específicos do rio, normalmente junto da fonte de poluição
Mais frequentes no outono e primavera

[Para se distinguir com certeza se a espuma é de origem natural ou antropogénica é necessário proceder a análises suplementares.]

Espuma de origem natural

Referências:
K Schilling – ‎2011: https://doi.org/10.1016/j.watres.2011.06.004
N Khatri – ‎2015: https://doi.org/10.1080/21553769.2014.933716

  2 comments for “Formação de espumas com origem natural

  1. 10 Junho, 2019 at 18:00

    Agora, estando a aproximar-se a epoca de Verao, podera beneficiar das boas praias Fluviais do Rio Paiva. Para ficar bronzeado(a) nao precisa estar a preocupar-se, nem gastar, porque estas aguas teem adequirido nossa ultimos anos uma qualidade bronzeante, da mais elavada a base de produtos naturais. Mas nao se exponha em demasia para que no dia seguinte nao tenha que recorrer ao seu medico.

    • 27 Junho, 2019 at 6:50

      A poluição no Rio Paiva existe e já foram denunciadas várias descargas poluentes. No entanto, todos os anos, a espuma visível em alguns locais do rio, levanta dúvidas e este artigo contribui para o esclarecimento da opinião pública, ajudando a diferenciar a espuma resultante de poluição e a espuma de origem natural. Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.