Cidadãos denunciam descargas poluentes na bacia do Paiva

A S.O.S. Rio Paiva recebeu uma denuncia de um cidadão preocupado com o estado em que encontrou na semana passada o ribeiro da Quintãs, afluente do Rio Paiva em Castelo de Paiva. O video, gravado pelo cidadão Filipe Leão, mostra o curso de água com uma cor alaranjada, existindo fortes suspeitas da realização de uma descarga poluente no ribeiro que atravessa as freguesias de Bairros, Sobrado e Fornos, o que motivou denuncia do caso às autoridades.

Descarga em afluente do Rio Paiva, na freguesia de Fornos, concelho de Castelo de Paiva.
Descarga no ribeiro das Quintãs, freguesia de Fornos – Castelo de Paiva (Filipe Leão)

Suspeitou-se que a origem da descarga no ribeiro das Quintãs, que atravessa a EM 502 na freguesia de Fornos, estaria a montante, na Estação de Tratamento de Águas (ETA) de Carreiros (freguesisa de Bairros) em resultado do tratamento da água para abastecimento público. Por este motivo a S.O.S. Rio Paiva solicitou esclarecimentos às Águas do Douro e Paiva (AdDP), empresa que efectua a captação e tratamento da água captada na ponte da Bateira (Rio Paiva), informando a Câmara Municipal e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) da ocorrência.

AdDP confirma descargas mas diz que não há motivo para alarme

A empresa AdDP respondeu prontamente, confirmando a denuncia devido à “entrada de água não tratada na rede de águas pluviais, decorrente de uma avaria na Estação de Tratamento de Águas (ETA) de Castelo de Paiva, situada na freguesia de Bairros, em Castelo de Paiva“.

Segundo a empresa, “a avaria ocorreu nas bombas do tanque de decantação de lamas de clarificação de água, causando o seu transbordo e a consequente entrada desta água na rede de águas pluviais e descarga na linha de água contígua à instalação“.

As Águas do Douro e Paiva informaram a S.O.S. Rio Paiva que, confirmada a avaria, foram tomadas medidas de minimização dos impactes da ocorrência, nomeadamente:

  • Encaminhamento de água limpa para a linha de água a fim de promover a diluição da descarga ocorrida e diminuir o seu impacto;
  • Paragem temporária da etapa de desidratação de lamas;
  • Intervenção corretiva nas bombas para resolução da avaria.

A empresa garante que, “apesar do impacto visual poder causar algum alarmismo, informamos que a coloração que a água apresenta provém da presença de ferro, que é um elemento utilizado numa das etapas de tratamento da água para consumo humano“, pelo que acredita que “a água descarregada não causará danos ambientais relevantes, uma vez que as concentrações de ferro presentes nesta água de processo são significativamente inferiores ao limiar normalmente referido na literatura para que haja efeitos nocivos em ambientes aquáticos“.

As AdDP garantem que o normal funcionamento da instalação ficou restabelecido no dia 24 de Março e que foi efetuada comunicação da anomalia à Agência Portuguesa do Ambiente.

A S.O.S. Rio Paiva manifesta a sua preocupação com a ocorrência deste incidente e nas suas consequências. A associação espera que o caso seja devidamente investigado pelas autoridades para que se perceba como é que esta descarga foi parar às condutas de águas pluviais e qual o seu real impacte no meio ambiente e até na saúde das populações, uma vez que o ribeiro em causa atravessa diversas explorações agrícolas.

Suspeitas de descargas em Bairros

A outra situação ocorre mais a montante, na freguesia de Bairros no lugar das Casa Novas onde foram instaladas condutas alegadamente para descarga de águas pluviais. Testemunhos de cidadãos denunciam que estão a ser feitas descargas poluentes através destas condutas, estranhando o facto das descargas ocorrerem em dias em que não caiu precipitação, aumentando as dúvidas sobre a origem das descargas.

A S.O.S. Rio Paiva, além de informar a Câmara Municipal destas ocorrências, manifestou a sua preocupação solicitando esclarecimentos sobre as diligências efectuadas para resolver estas situações garantindo a preservação e qualidade do Rio Paiva e dos seus afluentes.

A associação agradece o empenho e denuncia dos cidadãos que registaram estas ocorrências e solicita que qualquer informação sobre descargas poluentes no Rio Paiva ou nos seus afluentes, sejam enviadas com imagens, localização e data da ocorrência, para o email: [email protected]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.