Autoridades e Câmara de Arouca estão a investigar poluição no Rio Paiva

Na sequência de mais uma época balnear em que a praia do Areinho, em Arouca, está interdita a banhos pelas autoridades, a associação S.O.S. Rio Paiva, efectuou diversos contactos no sentido de obter mais informação sobre os problemas de poluição que afectam o Rio Paiva com o objectivo de esclarecer devidamente a população e os seus associados.

A associação solicitou esclarecimentos à Câmara Municipal de Arouca no passado dia 19 de Junho, mas ainda não obteve qualquer resposta.

Por sua vez, nesse mesmo dia, a S.O.S. Rio Paiva recebeu a confirmação de interdição da praia do Areinho em Arouca pelo Departamento de Monitorização de Recursos Hídricos da Agência Portuguesa do Ambiente, adiantando que a interdição se deve à ocorrência de Salmonella.

Praia do Areinho – Rio Paiva (Arouca) © S.O.S. Rio Paiva Setembro 2017

A associação contactou o Departamento de Saúde Pública da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-Norte) que, no dia 27 de Junho, enviou os seus esclarecimentos à S.O.S. Rio Paiva sobre esta questão.

Segundo a Directora do Departamento de Saúde Pública da ARS-Norte, “a água balnear do Areínho (concelho de Arouca), foi interdita para fins balneares em 30.06.2017 – tendo em conta os resultados obtidos em 07.06.2017 e 21.06.2017 – com pesquisa de Salmonella positiva. A interdição do uso da água para fins balneares da água balnear do Areínho tem-se mantido desde então, face à ausência de dois resultados consecutivos que justifiquem o levantamento da interdição”.

O Departamento de Saúde Pública da ARS-Norte esclarece ainda que no âmbito do Decreto -Lei n.º 135/2009, de 3 de junho, alterado pelo Decreto -Lei n.º 113/2012, de 23 de maio, compete à Diretora do Departamento de Saúde Pública, em articulação com as unidades de saúde pública, desenvolver “ações de vigilância, entre as quais, realizar análises que complementem a avaliação da qualidade das águas balneares”, tendo sido elaborado um plano de colheitas para a época balnear em causa.

Foi realizada uma reunião conjunta no sentido de encontrar soluções para as causas que têm determinado a interdição da prática balnear na praia do Areinho.

Face à persistência da presença de Salmonella no Areinho, nas últimas análises efectuadas “foi realizada uma reunião conjunta entre a APA/ARH Norte, IP, Câmara Municipal de Arouca e Administração Regional de Saúde do Norte, no sentido de encontrar soluções para as causas que têm determinado a interdição da prática balnear nesta água balnear nas últimas épocas balneares“.

A Directora do Departamento de Saúde Pública da ARS-Norte acrescenta que foram definidas algumas estratégias no sentido de identificar as fontes de poluição que possam justificar a poluição das águas do Rio Paiva e foi aumentada a frequência de amostragem para o parâmetro Salmonella, com vista a uma melhor perceção dos resultados obtidos.

A S.O.S. Rio Paiva espera que a origem da poluição na praia do Areinho seja identificada e eliminada, mantendo a colaboração e disponibilidade para continuar a contribuir para a resolução dos problemas de poluição no rio com autarquias e entidades com responsabilidades nesta matéria.

A associação apela a uma participação activa dos cidadãos na denuncia de fontes poluidoras e no envio dessa informação para a S.O.S. Rio Paiva, Câmara Municipal de Arouca ou para as entidades competentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.