Novas descargas poluentes em Vila Nova de Paiva

  • Projectos turísticos avançam sem que se resolvam graves problemas de poluição
  • ETAR de Vila Nova de Paiva continua a contaminar um rio, classificado como àrea protegida a nível Europeu
  • S.O.S. Rio Paiva espera medidas urgentes para que a legislação seja cumprida

 

ETAR-VN-PAIVA-22-8-2015_001 copy

Nos últimos meses temos visto muitas imagens que retratam a beleza do Rio Paiva, mas o “rio mais limpo da Europa” está seriamente ameaçado por descargas poluentes realizadas pelas autarquias a montante de Arouca: Castro Daire e Vila Nova de Paiva. Em Vila Nova de Paiva o Rio Paiva foi transformado num esgoto a céu aberto, devido às descargas poluentes da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) directamente no rio.

 O “rio mais limpo da Europa” continua a ser tratado desta forma por uma autarquia que se auto-intitula “Capital Ecológica”, mas que mantém este grave problema desde 2009, altura em que foram realizadas as primeiras denúncias sobre este crime ambiental.

Recordamos que em Agosto de 2011, depois de várias denúncias da S.O.S. Rio paiva, os serviços do SEPNA da GNR, fiscalizaram a ETAR e confirmaram a existência de descargas poluentes para o rio e a ausência de licença para a utilização de recursos hídricos naquela Estação, tendo sido elaborado um auto de contra ordenação.

Mais tarde o Ministério do Ambiente, confirmou a existência de problemas no funcionamento desta ETAR e a ausência de licença de descarga que “só será emitida quando a Câmara provar que a ETAR está a funcionar correctamente”, em resposta a uma pergunta Parlamentar sobre o assunto realizada pelo PEV.

Em Dezembro de 2012, a Agência Portuguesa do Ambiente informava a Associação S.O.S. Rio Paiva que, depois de informar a autarquia da necessidade de implementação de “medidas complementares” para tornar mais eficiente o sistema de tratamento, as análises realizadas ao efluente descarregado no Paiva cumpriam os valores de emissão legalmente previstos.

No entanto, em visita ao local no dia 22 de Agosto de 2015, a Associação S.O.S. Rio Paiva verificou que o cenário no troço do Rio Paiva a jusante da ETAR continua igual, com cheiros nauseabundos, e todo o leito do rio transformado num pântano de esgotos sem tratamento, 2 km a montante de uma zona de lazer junto ao rio (Fráguas) frequentada nesta altura por centenas de pessoas, situação que consideramos extremamente grave do ponto de vista da saúde pública.

Também em Castro Daire há problemas graves com as ETAR do concelho, com descargas frequentes de poluição no rio e nos seus afluentes.

Numa altura em que o rio Paiva é visitado por milhares de pessoas, não podemos ignorar a existência de graves problemas de poluição neste rio que colocam em causa a sua conservação, bem como toda a actividade turística e os investimentos efectuados.

Lamentamos que não exista a mesma disponibilidade financeira para eliminar os graves problemas que afectam o rio Paiva e para a sua conservação, pelo que não deixamos de questionar a sustentabilidade do investimento que está a ser feito no rio Paiva.

Lembramos que o rio Paiva é um Sítio de Importância Comunitária da Rede Natura 2000, cabendo ao Estado português a responsabilidade da sua protecção e conservação.

As descargas verificadas este sábado foram de imediato comunicadas ao Serviço de Protecção da Natureza da GNR e demais autoridades competentes.

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *