Abate de árvores autóctones choca associação

S.O.S. Rio Paiva solicita esclarecimento sobre o abate de dezenas de árvores

Associação condena o abate de espécies autóctones nas margens do Rio Paiva

A associação S.O.S. Rio Paiva participou ao Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) o abate indiscriminado de dezenas de árvores autóctones nas margens do Rio Paiva, num lugar conhecido como “quinta da lagoa” na freguesia de Souselo (Cinfães) a poucos quilómetros da foz do Rio Paiva. O abate foi realizado, alegadamente por particulares, após a denúncia do depósito ilegal de pneus naquele mesmo local.

A S.O.S. Rio Paiva deslocou-se ao local, no passado domingo, para verificar se os pneus ainda se encontravam no local, após a denúncia efectuada para o SEPNA-GNR e para a Junta de Freguesia de Souselo, deparando-se com várias máquinas e homens a fazer a “limpeza dos terrenos”, deixando os pneus e algumas árvores de fruto, e abatendo carvalhos, choupos, loureiros e até um sobreiro, entre outras espécies. A situação foi denunciada hoje ao ICNF, uma vez que se levantam sérias dúvidas em relação à legalidade da intervenção, realizada em terrenos que presumimos estarem dentro da zona de classificação da Rede Natura 2000, grande parte deles, em leito de cheia.

A S.O.S. Rio Paiva lamenta que, numa altura em que se discute a importância da floresta autóctone em Portugal, e numa zona onde proliferam os eucaliptos e acácias, se tenham abatido árvores nativas, nas margens do rio, sem qualquer sensibilidade e respeito pelo meio ambiente, deixando um aspecto desolador na paisagem como comprovam as imagens.

A associação aguarda esclarecimentos das autoridades sobre a legalidade deste abate de árvores, bem como sobre o depósito de pneus no terreno em causa.

Artigos relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *